Hoje à tarde um Shakespeare salvou a minha vida

Uma das minhas 5 promessas para o ano novo foi blogar mais. E nesse domingão de fim de recesso do Poder Judiciário (no que deveria ser a hora do pós almoço de quem não chegou em casa às 6 da manhã e dormiu luz do sol adentro) eu me decidi por uma fonte que renderá muitas postagens: sonhos.

Sandman conversando com William Shakespeare

Sandman conversando com William Shakespeare

Pronto, essa é a mensagem, se você está sentindo ansiedade para fazer outra coisa, pode parar de ler. Daqui pra frente são apenas explicações para o parágrafo acima e, antes, para o título. Coisas que poderiam ser apenas sugeridas com links, mas que prefiro deixar em palavras expressas.

Em 1982 um grupo de R&B (de um sucesso só) lançou a música Last Night a DJ saved my life, na qual as pessoas estão entediadas de morte até que o DJ uma canção bacana que renova a energia da noite. Eu, no caso, também estava bastante entediado, mas a lembrança de uma frase de Shakespeare me renovou as energias da vida:

Morrer, dormir; — Dormir, talvez sonhar.

Nesse trecho da peça A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca vem logo em seguida do famoso “ser ou não ser”, é feita uma escolha, entre o alívio da morte ou o alívio do sono, decidida a favor de apenas dormir, com a expectativa remota da chance de sonhar. Não é exatamente a ideia principal desenvolvida pelo personagem, mas tem ali o pouco de esperança suficiente para me animar.

Não é propriamente uma descoberta genial ou mesmo muito inovadora. Eu mesmo, inspirado pela leitura da novela gráfica Sandman, já tinha pensado em escrever as coisas incríveis que sonho. Não sei todo mundo, mas eu funciono com uma criatividade espantosamente diferente durante meus sonhos, gerando situações diversas que várias vezes me deixam até orgulhoso de saber que aquilo tudo saiu da minha própria cabeça.

Nada mais adequado, então, do que relatar aqui no blog algumas das muitas viagens que tenho pelo Sonhar. Se o sonho é porção mais criativa da minha vida, deixo a morte de lado e abraçarei o sono. E que venha o travesseiro!

About these ads

6 thoughts on “Hoje à tarde um Shakespeare salvou a minha vida

  1. Pingback: O jeito foi ir dormir « HIPERFÍCIE

  2. Pingback: Ontem à noite um Gaiman salvou a minha vida « HIPERFÍCIE

  3. Pingback: Como um pão no forno « HIPERFÍCIE

  4. Ué, o sonho acabou? Revirei o blog atras de mais postagens de sonhos…Certo, é daqui para frente! Eu também escrevo, ilustro, fico fascinada com os meus sonhos mágicos. E sim, às vezes, durante o trabalho, dá vontade de dormir um pouco, só para arriscar um sonho!

    • Cara, como é difícil descrever os sonhos. Está cheio de rascunhos não publicados. Vou tentar finalizar algum e te aviso, ok?
      Muito misto de vergonha, por alguém ter cobrado, e orgulho, por alguém ter lido e levado a sério a proposta ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s