A necessidade da interdisciplinaridade

Para Bernard Sorj, a interdisciplinaridade é a “utopia das ciências sociais. Essa observação tem em seu ponto cego as ciências naturais. Quero dizer que a idéia de Sorj não está errada, mas incompleta. Sua frase deixa de fora a percepção de que para todas as ciências é muito importante a busca por um conhecimento interdisciplinar, que ultrapasse as fronteiras internas do saber.

Assim, não apenas para as ciências do espírito, também para as ciências duras se impõe a necessidade de “mobilizar os diferentes recursos das várias disciplinas,” como exigência para entender a complexidade do objeto de estudo, seja ele qual for.

Para a Física, por exemplo, Einstein dedicou seus últimos anos de estudo a tentar formular a Teoria do Campo Unificado. Ironicamente, seus estudos da teoria da relatividade ajudaram a separar as teorias explicativas, em função do porte das garndezas envolvidas no objeto observado. Hoje em dia, a controversa teoria das cordas é a esperança da junção de toda a física moderna.

De qualquer forma, essa ânsia por uma unificações teóricas, por fórmulas únicas, pode ser lida como um reconhecimento de que não é suficiente uma explicação parcial dos fenômenos.

Sem mais divagações, fico com a simples conclusão de que a interdisciplinaridade é o Graal de toda a ciência; na verdade, de toda e qualquer forma de conhecimento.

6 pensamentos sobre “A necessidade da interdisciplinaridade

  1. Paulo,

    Não chamei a teoria das cordas (TdC)de pseudo-ciencia ! Só falei que ainda é quasi-ciência.

    Pseudo-ciência é “ciencia” de mentirinha. A TdC é ainda uma teoria matemática, que ainda (not yet – may be in 10-20 years) não pode ser verificada pela física experimental.

    E sim, me referi ao Popper. Faltou o R :o)

  2. MHL, sugiro que leia o livro O Universo Elegante ou busque se informar sobre o Brian Greene: teoria das cordas não é pseudociência e sim, ela é falsificável e, com o tempo, veremos.
    Os experimentos é que são complicados. Mas, como escrevi, ela é uma esperança, não a resposta final.

    E vc quis dizer “Popper“, certo?😉

  3. Não sei muito de física. Mas pelo que tenho acompanhado da literatura jornalistica séria de ciencia, a teoria das cordas não tem como ser experimentalmente verificada, e logo não pode ser provada, ou negada. Segundo Poppe, isso não seria ciência (pelo menos hoje, até que uma alma consiga um experimento para prova-la ou refuta-la).

    Há uma outra teoria “no mercado” de um físico surfista americano. Esta é simples e pode ser verificada experimentalmente. O autor acha que em breve poderão refuta-la. hehe.

    Um cara bem humorado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s