É um tempo de guerra…

Eu fico muito triste com o que acontece em Israel e arredores. Não é uma tristeza pessoal, nem daquelas que se sente com um filme, uma música, um quadro. É um aperto que vem da sensação de que eu faço parte da humanidade, e tem seres humanos fazendo grandiosas besteiras.

No caso de Israel contra os palestinos, além de matar os inimigos impiedosamente, jogando super mísseis em quem lança morteiros que sobraram de guerrar anteriores, e acertando muitos inocentes no meio disso tudo – além disso, repito – a postura de Israel joga no lixo a hisória dos judeus. É um desserviço à memória dos que foram sacrificados em função do preconceito.

Ok, judeus existem há milhares de anos, e nada é novidade na história desse povo. Mas o holocausto foi um acontecimento muito surreal, uma ótimo oportunidade de todo mundo parar e pensar de verdade: mas que diabos estamos fazendo uns contra os outros. Mas aí isso vira música, vira poesia, vira filme, vira fábula pra criança, todo mundo acha a paz muito linda, mas na hora do vamos ver os governantes não hesitam nem um segundo em iniciar um combate. E lá se vão os jovens matar e ser mortos.

Em nome dos Shministim, foi formulado pela Voz Judia pela Paz (que eu não conhecia) um site, que tem como abertura o texto que traduzo abaixo.

LIBERTE OS SHMINISTIM – JOVENS DE ISRAEL OBJETORES CONCIENTES. Os Shministim são estudantes israeleneses de nível médio que foram presos por se negarem a servir num exército que ocupa os territórios palestinos. 18 de dezembro marca a data do lançamento mundial da campanha para libertá-los da prisão. Junte-se a mais de 20.000 pessoas incluindo objetores conscientes americanos, Ronnie Gilbert, Adrienne Rich, Robert Meeropol, Adam Hochschild, Rabbi Lynn Gottleib, Howard Zinn, Rela Mazali, Debra Chasnoff, Ed Asner e Aurora Levins-Morales e mostre seu apoio ao contatar o Ministro da Defesa de Israel usando o formulário abaixo. 40,000 CARTAS E CONTANDO!

jvpApós assinar o formulário, fui convidado pela Voz Judia pela Paz a buscar novas assinaturas, encaminhando a meus amigos e conhecidos a seguinte mensagem, a qual também traduzo.

Caro amigo,

Shministim. Você ouviu sobre eles? Eu ouvi –  acabei de ouvir. E uma vez que eu ouvi sobre eles, eu tinha que fazer alguma coisa.

Os Shministim – todos entre 16, 17, 18 de idade e na 12[ série – são uma nova espécie de objetores conscientes em ISrael e agora mesmo eles estão tomando tomando uma posição. Eles acreditam em um futuro melhor, mais pacífico para eles mesmos e para israelenses e palestinos, e eles estão se negando a entrar para o exército israelense.  Eles estão todos na prisão, segurando firme contra a imensão pressão da família, amigos e o governo de Israel. Eles precisam do nosso apoio e eles precisam dele hoje.

Os Shministim pediram à Voz Judia pela Paz para alcançar pessoas como nós a fazer o governo de Israel saber que nós estamos assistindo, e que nós apoiamos a coragem deles. Eles estão esperando receber centenas de milhares de cartões postais para serem entregues ao Ministro da Defesa de Israel. Especialmente agora – enquanto chovem bombas em gaza e nós somos lembrados de que os soldados dizem não, não haverá mais mortes.

Os Shministim estão esperando se manter fortes representando não apenas as milhares de recusadores que vieram antes deles, não apenas as muitas pessoas jovens para quem eles são um exemplo de um mundo melhor, mas também nós. Eles pediram a você, a mim, e a cada pessoa que luta por paz para apoiá-los. Eu vou.

Você vai se juntar a mim? É simples. Assine uma carta. Clique aqui: http://www.december18th.org/

Pode não parecer muita coisa, uma assinatura a mais ou a menos. E uma carta não é também muita pressão para um ministro de estado. Mas eu não posso, primeiro, deixar de apoiar a tomada pública de posição contra a guerra entre Israel e os palestinos; segundo, não reconhecer essa manifestação em busca de um evidente direito achado na rede, ou seja, do uso da internet como ferramenta para a construção de um sentido jurídico no mundo real: a garantia de liberdade aos que se recusam a lutar uma guerra que consideram injusta.

Como disse Cecilie Surasky na mensagem que recebi da Voz Judia pela Paz em resposta à assinatura, “dezenas de milhares de cartas demandando a sua libertação farão uma diferença real. (…) Enquanto houver Shministim na prisçao, nós precisaremos de suas cartas de protesto“.


Um pensamento sobre “É um tempo de guerra…

  1. Olá

    Eu continuo falando a mesma coisa não interessa quem tem razão,quem não tem,quem está certo ou errado,nenhum tipo de guerra vale a pena,essa menos ainda,pois o fundo dela é e sempre vai ser religioso,por religião as pessoas morrem em vão,acabam a a vida de crianças inocentes,que mesmo pequenas e inocentes viram como o homem pode ser tão destrutivo,mesquinho,hipocrita…

    Te convido a conhecer meu blog tb,espero sua visita.

    Abraços.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s