Casca de noz e criptonita

originalmente publicado em Rascunho, em 19 de outubro de 2004

– Homens, pensemos nisso como uma homenagem sincera. Uma forma de construir a imagem de um verdadeiro herói. Não estaríamos fazendo outra coisa senão reconhecendo o valor de um sujeito e tranformndo-o em um notório exemplo a ser seguido. Se estaríamos sendo desumanos? Penso sinceramente que não. Usaríamos claramente suas limitações como prova viva de que a humanidade pode ir além e driblar a seleção natural. Com uma adequada estratégia de marketing, mais que ser conhecida, sua história de vida passaria a servir de farol para as pessoas do mundo inteiro. Sem falar na decorrente habitualização cultural ao diferente, àquele que não é igual, ao outro, e isso tudo de uma forma bem sutil. Ademais, qual é a conseqüência de nosso trabalho se não a construção subliminar de referências de comportamento no inconsciente  das crianças.

– Olha, com todo o respeito, você apresenta bem seus argumentos, defende bem suas tese e foi um belo discurso. Mas não adianta insistir: esta empresa não vai gastar tempo nem dinheiro na produção de uma “Barbie – Stephen Hawking que mexe o dedinho”!

– Mas nem no “Ken – Christopher Reeve“?!

Um pensamento sobre “Casca de noz e criptonita

  1. Pingback: Em tempo… « Hiperfície

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s