Vento de primavera

No meu rosto o encanto reverbera
Como em ondas n’água pós a pedra
A figura da moça lá na passarela
Foi algo de divino sobre a Terra

Foi apenas um vento de primavera
Em um átimo um naco de nada dela
A pele sob a saia exposta e bela
Tão rápido e tão sublime, já era

A memória tenta mas não recupera
O susto, a sensação e a amosfera
Oculto sob o pano de cor amarela
Há um mundo mágico moreno-canela

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s