Situação da formalização do PPBr ainda esse ano

Cultura, Privacidade, Conhecimento: seja um Pirata. http://partidopirata.org/membros

No site oficial do Partido Pirata do Brasil, até sexta-feira dia 17 de junho, ocorre uma votação interna: o PPBr deve se formalizar para concorrer já em 2012 ou devemos espeara para 2014? Tenho liderado o projeto 2012 e preciso de muita ajuda, seja na votação, seja para compartilhar a responsabilidade por algumas tarefas.

Para convencer mais pessoas a embarcar no projeto 2012, estou movimentando esforços em torno do cronograma de 2012. Quero com isso mostrar que o que parece ser uma insanidade na verdade é viável, ainda que bastante improvável e difícil.

Esse esforço já rendeu em Brasília o início da coleta de assinaturas de apoiamento ao registro do PPBr. Em breve divulgo aqui a tabela da quantidade de assinaturas necessárias, indicando os 9 estados onde seria mais fácil alcançaro mínimo legal de 0,1% do eleitorado apoiando nossa existência formal.

Além disso, um amigo permitiu o uso de um endereço comercial que pode funcionar como nossa sede em Brasília. Localiza-se na Superquadra 214 norte aqui em brasília, onde funciona a empresa Catalytica.

Peço a quem tiver interesse no projeto 2012 que se cadastre como integrante (membro) do PPBr e vote nessa opção. Além disso, divulgue o método de coleta e, mais do que isso, aprimorar com sugestões que o tornem mais funcional:

  1. Piratas baixam o arquivo genérico das fichas de apoiamento.
  2. Piratas alteram o arquivo, indicando local (ou locais) de entrega, e geram fichas de apoiamento específicas para cada cidade.
  3. Piratas imprimem e distribuem as fichas de apoiamento específicas.
  4. Piratas disponibilizam as fichas de apoiamento específicas para quem quiser baixar, assinar e entregar.
  5. As fichas assinadas são entregues nos locais indicados.
  6. Numa data estipulada, piratas separam as fichas recebidas e as submetem às respectivas seções eleitorais.
  7. As seções eleitorais aprovam as assinaturas.
  8. Os Tribunais Regionais Eleitorais aprovam o apoiamento em cada Estado.
  9. O TSE aprova o apoiamento nacional.

Quero deixar só mais uma coisa clara. Quando digo que se trata do meu projeto para o ano, quero dizer que eu poderia ter escolhido fazer outras coisas, mas escolhi fazer isso. Não quero, com isso, dizer que sou o dono da ideia da fundar o partido nem que quero fazer isso sozinho. Não sou insano de achar que um partido sério possa nascer da ação de uma única pessoa, nem considero sequer a hipótese de fazer isso para promoção pessoal. Muito pelo contrário, estou gastando um bom tempo e deixando de ganhar um bom dinheiro para poder me dedicar a esse projeto, porque acredito que ele vale muito mais do que dinheiro ou fama ou qualquer coisa do tipo. Acredito no PPBr como alternativa à política atual.

Fonte: Link Estadão

A ONU acaba de declarar que a o acesso à Internet é um direito fundamental. Não acredito que nenhum partido no Brasil possa encampar a defesa desse direito, e acho que o PPBr tem esse potencial. É uma demanda nova, uma briga nova, do séc XXI, que pode ajudar a satisfazer demandas antigas que os modelos do século passado não satisfizeram. E se parece contraditório fundar um partido para essa briga, adoto a ressalva de que em nosso sistema político atual, o partido é a chave, ele é o motor definido pela lei como apto a mover a máquina pública. E se a máquina precisa ser democrática, é por meio de um partido atuante que ela o será. Movimentos legítimos há vários, e eles sempre acabam reféns da boa vontade política de um ou outro parlamentar, um ou outro agente político.

O PPBr pode ser essa janela para uma democracia mais intensa, para questionar os demais partidos, ao assumir uma postura de transparência, de honestidade estrutural, de definição de uma linha de atuação, de assunção de seus limites e reconhecimento de suas possibilidades.

Mas creio que esperar por 2014, com eleições presidenciais, seria um grande erro. A base do Brasil são os municípios, uma invenção nossa que muito pode ajudar no processo de fundar uma verdadeira base política capilarizada, como uma rede, ligando os milhares de municípios brasileiros sem a intermediação das capitais, resolvendo problemas locais com a ajuda de outros entre de mesmo porte. Em 2012 o Brasil poderia ter inaugurada uma cauda longa política, que da “periferia” balançaria os dinossauros do “centro”, o poder nas pontas.

Bom, o recado ficou extenso, mas é importante. E, pelo menos até o fim da votação, nesta sexta 17 de junho, essa é a minha aventura. Espero contar com mais tripulantes nesse barco. Sozinho não navego a lugar nenhum e dois remos remam melhor que um.

Ao Combate, Piratas. P-)

About these ads

2 comentários sobre “Situação da formalização do PPBr ainda esse ano

    • Marcia,
      sim, claro, afinal, eu não sou (nem acho que alguém possa ser) dono da ideia do Partido Pirata do Brasil, ela está disponível para ser tentada.
      Reforço o convite para que me ajude nessa tentativa de agora, mas se não quiser, a formalização em si é uma proposta que vai permanecer aberta, sim, mesmo se eu falhar.
      E aí, me ajuda? P-)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s