MCT e os hackers: o que significa esse encontro?

https://i1.wp.com/3.bp.blogspot.com/-0KCwpaOwBjs/Tg9IzLtph_I/AAAAAAAAAjU/2k7jz2QC7RU/s1600/21599.jpg

Ministro Aloizio Mercadante, no centro

Há uma semana, o Brasil viveu um dia que já pode ser lembrado como histórico em função do seu valor simbólico. No dia 1º de julho o Ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante Oliva, se reuniu com um grupo de hackers e ouviu diversa propostas e pedidos para que o governo reconheça e se valha efetivamente do potencial de desenvolvimento que a tecnologia oferece.

O encontro foi articulado pelo pessoal da Transparência Hacker e ocorreu durante o 12º Fórum Internacional de Software Livre, na cidade de Porto Alegre. Após dar uma palestra (e atravessar um mar de jornalistas), o Ministro se encontrou (a portas fechadas) com um grande grupo de pessoas que lutam pelo software livre e adota a liberdade e a colaboração como filosofia base para a tecnologia, entre os quais os já famosos Sérgio Amadeu, Alexandre Oliva e Nelson Pretto.

E justamente o mais importante foi que todo mundo pode falar, e não apenas os líderes já conhecidos. A comunidade hacker pode não apenas ser ouvida, ou ouvir o Ministro, mas dialogar de forma bastante franca com um integrante do primeiro escalão do governo federal. Essa aproximação fez lembrar o reconhecimento da cultura digital como parte da cultura brasileira, promovido pelo Ministério da Cultura a partir da gestão de Gilberto Gil e agora ameaçado pela Ministra Ana de Hollanda. E por isso temos um momento histórico.

O Ministério da Ciência e Tecnologia tem condições de alavancar o Brasil para além da riqueza, de fomentar o desenvolvimento do conhecimento que catapulte o país para outro patamar no qual a quantidade de dinheiro produzida seja bem menos relevante que a qualidade de vida das pessoas, e que elas possam contar com uma ecologia de saberes a seu favor, e não apenas o pensamento metológico científico universitário.

Essa “monocultura” do conhecimento pela ciência desperdiça a riqueza do saber tradicional, tanto quanto a “monocultura” da indústria musical desperdiça as manifestações culturais espontâneas da sociedade. Em ambas a busca pelo lucro desvirtua as atividades que deveriam ser mais importantes, e o que deveria ser mais valorizado é menosprezado.

O Ministro que declarou entender a diferença entre hackers e crackers aceitou o convite e abriu um canal de diálogo com a comunidade hacker. É nossa oportunidade para convencer o Estado que a estrada vai além do que se vê, que há saber também fora dos muros da educação formal assim como há tecnologia fora do mercado, tudo retomando a lição de que a cultura não se limita ao que é industrializado.

Por tudo considero muito importante que a conversa que ali ocorreu extrapole aquele momento, aquele lugar, aquelas pessoas, e faça parte do contexto nacional das ciências e tecnologia. Por isso fiz questão de registrar em vídeo o máximo do que foi falado, para que qualquer pessoas possa cobrar coerência do Ministro e exigir que os compromissos ali assumidos sejam entendidos como deveres a serem cumpridos. A publicização desse evento intensifica o seu significado, por que amplia seu alcance no tempo (para além daquele 1º de julho) e no espaço (para além daquela sala fechada).

Ver os vídeos, ouvir o áudio, participar da elaboração da carta ao Ministro: são caminhos para ajudar o Brasil a reconhecer institucionalmente o que ele já produz de bom e direcionar melhor os gastos públicos para que o país possa se desenvolver de verdade, e não apenas crescer seguindo os modelos que não deram tão certo assim em outros países.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s