Destaque

Dissertação “O Direito Achado na Rede: a emergência do acesso à Internet como direito fundamental no Brasil”

A história recente da Internet no Brasil contém uma experiência de revalorização do costume como legítima fonte de direito: o direito achado na rede, observado para além dos mecanismos estatais formais, na vivência plural e democrática da Internet como espaço público virtual, como uma nova “rua” para as lutas emergentes da sociedade civil em direção […]

Leia mais Dissertação “O Direito Achado na Rede: a emergência do acesso à Internet como direito fundamental no Brasil”

Leituras críticas colaborativas: como fica o texto do AI-5 Digital?

Nesta quarta-feira, 13 de julho de 2011, acontecerá uma audiência pública na Câmara dos Deputados sobre o AI-5 Digital (projeto de lei nº 84/99), que ameaça direitos fundamentais a pretexto de  combater cibercrimes. Há um mês o hoje Deputado Eduardo Azeredo apresentou à Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática  um (mais um) parecer a […]

Leia mais Leituras críticas colaborativas: como fica o texto do AI-5 Digital?

Leituras críticas colaborativas: debulhando o AI-5 Digital coletivamente

Está marcada para amanhã, quarta-feira, dia 29 de junho de 2011, a votação do mais recente parecer do Deputado Eduardo Azeredo, apresentado à Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados no dia 14 de junho, a favor da aprovação do projeto de lei nº 84/99, nos termos do texto […]

Leia mais Leituras críticas colaborativas: debulhando o AI-5 Digital coletivamente

Proposta FISL [rejeitada]: “Lei de Cibercrimes: não há urgência comprovada, don’t panic”

Eu havia proposto para o 12º Fórum Internacional de Software Livre – FISL 2011 (que começa amanhã) uma palestra sobre o projeto de lei de cibercrimes. Minha proposta era defender que o projeto não é necessário para o bom funcionamento da Internet no Brasil, apesar das várias tentativas de demonstrar que a aprovação é urgente. […]

Leia mais Proposta FISL [rejeitada]: “Lei de Cibercrimes: não há urgência comprovada, don’t panic”