Antifábula

originalmente publicado em Rascunho, em 06/10/2006 Na contramão das fábulas tradicionais, era uma vez um cordeiro de um pêlo muito fofo que um dia resolveu se fantasiar de lobo. O motivo do jogo? Ele não aguentava mais sentir-se bobo diante daqueles suspiros todos das ovelhinhas que conhecia desde muito novo. Para atrair os olhares para […]

Leia mais Antifábula

O fogo frio

Texto meu, escrito em papel no ano de 2007 Queria que houvesse ciência o bastante sobre essa dimensão destrutiva. Há apenas essa certeza de um futuro cinzento e da eterna lembrança da dor sentida. A dor em si passa. Um dia. Não há, no entanto, argumento racional que, convencendo minha consciência, afaste essa obsessão que […]

Leia mais O fogo frio

Quebrar em mim

Segue tradução minha para a letra de Crash Into Me You’ve got your ball, you’ve got your chain Você tem sua bola, você tem sua corrente Tied to me tight, tie me up again Amarrada apertada em mim, amarre-me de novo Who’s got the claws in you, my friend Quem enfiou as garras em você, […]

Leia mais Quebrar em mim

Águas de dezembro

Poema meu, originalmente publicado em Sacada, em 15/12/2005 No ritmo com que o sol altera a aquarela O caminho entre as árvores, a ponte velha Um desejo secreto, mãos dadas, eu e ela O reflexo crescente na água até a queda A liberdade dos seus cabelos flutuantes Uma imagem de sonhos, um longo instante Manhã […]

Leia mais Águas de dezembro

Águas de dezembro

Poema meu, originalmente publicado em Sacada, em 15/12/2005 No ritmo com que o sol altera a aquarela O caminho entre as árvores, a ponte velha Um desejo secreto, mãos dadas, eu e ela O reflexo crescente na água até a queda A liberdade dos seus cabelos flutuantes Uma imagem de sonhos, um longo instante Manhã […]

Leia mais Águas de dezembro